Archive for 20 de junho de 2007

Tap Fotos – Ofer Ben e Avi Miller

Fonte: site oficial.

Anúncios

Rio, RJ – Off-Tap – Baile

Num cenário de gafieira acontece neste dia 20.06.2007 a gravação do DVD de Marcello Furtado e da Banda Signus, com bailarinos de dança de salão da “Dança A2”. Participações especiais de Luiz Melodia, Beth Carvalho, Karla Sabbah, Trio Virgulino, Emílio Santiago e Tânia Alves. No Canecão Petrobras (Av. Venceslau Brás 215, Botafogo), nesta quarta, às 20h30m. Mais informações: (21) 2105-2000. Os dados são do Jornal O Globo de hoje.

Belo Horizonte, MG – Passo de Arte Minas

Resultado da mostra competitiva de sapateado do “III Passo de Arte Minas”, realizado de 07 a 10 de junho de 2007 no teatro do Sesiminas, em Belo Horizonte:

CONJUNTOS DE SAPATEADO – JUVENIL I

Não houve 1o. nem 2o. lugar.

3o. lugar – GRUPO CORPUS (RJ)
Coreografia: “Turma da Pesada” – média 7,20

CONJUNTOS DE SAPATEADO – ADULTO I

Não houve 1o. nem 2o. lugar.

3o. lugar – ACADEMIA DE BALLET DANCE (MG)
Coreografia: “Mestre de Cerimônia” – média 7,20

CONJUNTOS DE SAPATEADO – AVANÇADO

Não houve 1o. nem 3o. lugar.

2o. lugar – MINAS TÊNIS CLUBE (MG)
Coreografia: “Irlanda” – média 8,70

Fonte: site do Passo de Arte.

Rio, RJ – Off-Tap – Slava’s Snowshow

Rio, RJ – Off-Tap – Contemporâneo

Reportagem de Silvia Soter sobre a apresentação do Nederlands Dans Theater recentemente no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, publicada neste dia 20.06.2007 no Segundo Caderno de O Globo:

Bailarinos de até 22 anos firmes como veteranos
Nederlands Dans Theater II: Uma das companhias jovens mais impressionantes do mundo no Rio

(Silvia Soter)

Um Teatro Municipal lotado acolheu calorosamente, no último fim de semana, a passagem da Nederlands Dans Theater II pelo Rio de Janeiro. Nesta turnê, o programa de uma das companhias jovens mais impressionantes do mundo tem dois apelos especiais para os brasileiros: uma coreografia de Henrique Rodovalho, diretor da Quasar, e a bela presença da cada dia mais competente carioca Nina Botkay.

“27’52””, de Jiri Kylian — artista que criou a NDT II e dela foi diretor artístico até 1999 –, abriu a noite mostrando que o coreógrafo não se deixou acomodar. Com o rigor e a criatividade de sempre, a peça de Kylian surpreende pela simplicidade e pela contemporaneidade.

A técnica de base clássica da companhia, terreno onde mais de 50 coreografias de Kylian se desenvolveram, colocase de lado para deixar emergir corpos que se movimentam no limite do descontrole, como que movidos de fora e em tensão permanente.

O título da peça joga com a idéia de que aquela quase meia hora de coreografia é fruto de um grande número de horas de trabalho que poderia nem aparecer. Não é o caso aqui. A precisão e a economia da peça são o evidente resultado da experiência de um artista inspirado, que mantém cada um dos bailarinos no limite de suas possibilidades e de seu comprometimento. É interessante ver como o estado de tensão que oscila sem se desmanchar ao longo da peça consegue ser carregado por pessoas tão jovens. Vale lembrar que a NDT II é composta por bailarinos de até 22 anos.

Henrique Rodovalho criou para a NDT II uma peça de exportação, para o bem e para o mal. Se, por um lado, a trilha de bossa nova e a movimentação suingada resultam numa peça agradável e de rápida comunicação com o público, por outro lado “Sob a pele” não voa mais alto. O material humano que teve à sua disposição não conseguiu desviar o coreógrafo de trilhas percorridas anteriormente.

“Spit” reúne extratos de vários trabalhos anteriores de Ohad Naharin, diretor artístico da companhia israelense Batsheva. É interessante ver o vigor e a potência da dança de Naharin em corpos tão jovens.

O caráter coletivo de algumas das coreografias ganha neles um sabor especial. Mais uma vez, impressiona o engajamento dos bailarinos, que conseguem ir fundo em cada uma das propostas apresentadas. No entanto, é provável que “Spit” funcionasse melhor como um pot-pourri mais assumido. A tentativa de costura entre um extrato e outro enfraquece o todo. Ainda mais quando fecha uma noite que foi inaugurada pela escrita genial de Jiri Kylian.

Rio, RJ – No Baixo do Sapateiro

O sapateador Steven Harper e o contrabaixista Bruce Henri apresentam, nos dias 26 e 27, às 21h, o espetáculo “No Baixo do Sapateiro”, no Café Pequeno, Leblon, Rio. R$ 20. Endereço: Av. Ataulfo de Paiva, 269, (21) 2294-4480. Bilheteria de 15h às 21h, de terça a domingo. Capacidade: 120 pessoas.

%d blogueiros gostam disto: