Archive for 10 de julho de 2007

Divulgando no Jornal da Dança

Abaixo, a capa da edição de julho de 2007 do Jornal da Dança, onde há foto (no detalhe, segunda foto) da participação da mestra Cíntia Martin e do Divulgando o Sapateado Por Aí no programa Platéia de 25.06.2007.

Tap Fotos – Savion Glover

Fonte: internet. A cena é do imperdível filme Tap – A Dança de Duas Vidas, de 1989.

Rio, RJ – Off-Tap – Cursos de Férias – Jaime Arôxa

A Escola de Dança Jaime Arôxa (RJ) está oferecendo cursos de férias de 30.07.2007 a 03.08.2007. “Condução e Contato, Musicalidade, Postura e Equilíbrio / Didática, Liderança e Manutenção de Turmas”, das 10h às 13h e de 14h às 17h, é indicado aos amantes da dança, não necessariamente professores. Informações e inscrições: (21) 3042-1152 / jaime.aroxa@gmail.com (inscrições até 17.07.2007).

Rio, RJ – Off-Tap – Coreógrafos do Pan

Reportagem de Luiz Ernesto Magalhães para o caderno de Esportes de O Globo hoje, 10.07.2007:

Afinal, onde está Doug Jack?
Mistério: Diretor da coreografia da cerimônia de abertura do Pan abandona a festa

Afinal, que fim levou Doug Jack [foto ao lado] ? Sete meses após desembarcar no Rio, o festejado diretor da coreografia que será apresentada sexta-feira na cerimônia de abertura dos Jogos Pan-Americanos no Maracanã foi embora e não deve assistir ao show que ajudou a conceber. A não ser que ocorra uma surpresa de última hora, o comando dos mais de 6 mil dançarinos voluntários será de responsabilidade do britânico Bryan Walters, o assistente de Doug que num português aprendido neste pouco tempo de Brasil tem animado os voluntários nos ensaios. Ele terá a ajuda de uma equipe de 26 coreógrafos brasileiros, incluindo Carlota Portela, Renato Vieira e Lola Gabriel.

Especulações sobre o sumiço

O Comitê Organizador do Pan (CO-Rio) alegou ontem que Doug Jack voltou aos EUA na sexta-feira passada por problemas pessoais. Ele ou alguém da família, que o CO-Rio não esclareceu, estaria doente. Mas a ausência da estrela, que nos últimos meses dividia seu tempo entre caminhadas na Zona Sul e os ensaios para o Pan, gerou uma onda de especulações. Procurado pelo GLOBO, o diretor de Marketing do CO-Rio, Leonardo Gryner, responsável pela festa, não retornou as ligações, aumentando mais o mistério.

As versões se multiplicam sobre o paradeiro do coreógrafo, que chamava atenção não apenas pela calvície absoluta como pelas frases motivadoras que expressava a cada ensaio. As comunidades de voluntários do Pan no Orkut ajudam a espalhá-las. Todos querem saber que fim levou o homem que desde Barcelona (1992) seleciona e dirige as cerimônias de abertura e encerramento de Olimpíadas. Segundo essas versões, Jack teria se irritado com recados deixados em seu site por torcedores fanáticos, irritados com o fechamento do Maracanã para a conclusão dos preparativos da cerimônia. Outros afirmam que o coreógrafo teria ficado insatisfeito com as limitações orçamentárias do evento. Outra versão dá conta de que Doug Jack teria se assustado com a violência do Rio, já que alguns voluntários tiveram objetos roubados durante os ensaios no Sambódromo, apesar de o espaço estar sendo vigiado por agentes da Força Nacional de Segurança.

— Eu simplesmente não posso falar sobre isso, senão vou tomar uma bronca. Desculpe, mas não me ligue mais para perguntar sobre isso — disse ontem uma integrante paulista da equipe de Jack.

No site pessoal de Doug Jack não havia ontem qualquer referência a uma suposta despedida à francesa. No site, ele confirmava a participação na equipe do Pan.

Ontem à noite no Maracanã, houve mais um ensaio para a cerimônia de abertura. E ninguém deu explicações aos voluntários sobre o desaparecimento de Doug Jack.

— Ele foi embora mesmo? Engraçado, até agora não confirmaram nada para a gente. Parecia um cara legal e gostava de fazer média, já que quase sempre aparecia vestido com uma camisa do Brasil — contou uma voluntária pelo telefone celular, durante um dos intervalo dos ensaios.

Em março, na única entrevista que deu no Brasil, a um repórter do GLOBO, que para abordá-lo se inscreveu como candidato a dançar na cerimônia de abertura, Jack afirmou que contava com o entusiasmo dos voluntários para promover um espetáculo grandioso.

…..

UPDATE – 10.07.2007, 13:35h – O Terra confirma a ausência de Doug Jack na cerimônia de abertura do Pan: clique aqui para ler.

Rio, RJ – Off-Tap

A bailarina espanhola Inmaculada Ortega apresenta “El baile flamenco de Inmaculada Ortega”, espetáculo de dança flamenca ao lado de músicos e bailarinos brasileiros. No Teatro Carlos Gomes (Praça Tiradentes, s/n, Centro, Rio, (21) 2232-8701. Nesta terça, 10.07.2007, às 20h. R$ 25. Último dia. Classificação livre.

São Paulo, SP – Off-Tap – Musicais no Brasil

Reportagem de Márcia Abos publicada no Globo Online em 09.07.2007:

São Paulo, Nova York e Londres têm algo em comum: musicais

Musicais de pequeno, médio e grande porte tiveram presença garantida na programação cultural de São Paulo nos últimos cinco anos. Até companhias teatrais de vanguarda, como o Teatro Oficina e o Galpão do Folias, exploram o gênero, que reúne canto, dança, música e teatro e tem atraído cada vez mais público aos teatros paulistanos.

Contabilizando apenas as grandes produções, chega-se a um público de mais de 2 milhões de pessoas em seis anos. Nesta quinta-feira, mais uma superprodução nos moldes de “Les miserables” e “O fantasma da ópera” chega aos palcos da cidade: “Miss Saigon”, adaptação da ópera Madame Butterfly.

A montagem é uma espécie de franquia, ou seja, replica exatamente o que é encenado em outros países, importando tecnologia e até diretores e equipe técnica e reproduzindo cenário, figurinos e efeitos especiais. As diferenças são o idioma e o elenco, que são locais.

Além de “Miss Saigon”, chega no dia 27 deste mês aos palcos da cidade outro mega espetáculo “Peter Pan – Todos podemos voar” (foto acima – divulgação), estrelado pelo ator Leonardo Miggiorin. Em 13 de setembro é a vez de “Os produtores”, com Miguel Falabella, Juliana Paes e Vladimir Brichta. Em 2008, entra em cartaz “West side story”.

– Sempre há em São Paulo um grande musical internacional em cartaz e várias produções nacionais, novos shows pequenos ou médios. O público está gostando, comprando ingressos. E o mais interessante é a variedade no preço dos ingressos, que vai de R$ 10 a R$ 200. Nos Estados Unidos, mesmo as peças off-Broadway são muito caras – diz Fred Hanson, diretor norte-americano, que está no Brasil dirigindo a produção paulistana de Miss Saigon.

O sucesso que o gênero faz na capital paulista se deve, entre outras coisas, à riqueza local, segundo Hanson.

– São Paulo é uma das cidades mais ricas do mundo – completa.

Jorge Takla, que dirige outro grande musical em cartaz na cidade, “My fair lady”, e está testando elenco para sua nova produção, “West side story”, diz que São Paulo é hoje como Nova York e Londres. Mas para chegar a este ponto, foram necessários anos de trabalho.

Desde os anos 60, com Bibi Ferreira, com montagens de “My fair lady”, está sendo criado espaço para musicais. Vieram depois montagens de musicais de Chico Buarque: “Gota d’Água”, “Calabar”, “Ópera do malandro”. A era Collor deu uma freada no processo e a criação de leis de incetivo fiscais iniciou sua retomada.

– Hoje vemos que há o desejo do público e que os artistas são muito mais preparados do que eram a dez anos. A indústria do entretenimento se desenvolveu muito – diz Takla.

Para o diretor, a explicação para o fenômeno é que São Paulo é uma grande metrópole, com 20 milhões de habitantes. E turistas de outras cidades e estados ocupam de 25% a 30% dos lugares nos finais de semana nas salas de espetáculo, assim como acontece no exterior.

– A dramaturgia da TV compete com o teatro. As pessoas querem muito mais do que só teatro falado. Querem música, dança, canto. Os musicais pegam o público pela emoção. As pessoas saem falando que pagariam o dobro, que o que viram é igual a Broadway e minhas encenações são totalmente brasileiras – explica Takla.

Miss Saigon
Estréia: 12 de julho de 2007, no Teatro Abril
Quartas, quintas e sextas às 21h, sábados às 17h e 21h e domingos às 16h e às 20h.
Endereço: Av. Brigadeiro Luís Antônio, 411, Bela Vista, São Paulo.
Ingressos: de R$ 200 a R$ 65. Informações: (11) 6846-6060

Peter Pan – Todos Podemos Voar
Estréia: 27 de julho de 2007, no Credicard Hall SP
Quintas e sextas, às 20h, sábados e domingos, às 11h, às 14h e às 17h.
Endereço: Av. das Nações Unidas 17.955, Vila Almeida, São Paulo.
Ingressos: de R$ 140 a R$ 50. Informações: (11) 6846-6000

My fair lady
Em cartaz até 29 de julho de 2007 no Teatro Alfa
Quinta e sexta, às 21h. Sábado, 17h e 21h. Domingo, 16h e 20h.
Endereço: Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Sto. Amaro.
Ingressos: de R$ 185 a R$ 40. Informações: (11) 5693-4000 / 0300 789-3377

Florianópolis, SC – Cursos em Agosto

Em Florianópolis, novas turmas de sapateado a partir de 01 de agosto de 2007 com a professora Elisa Prits (da “Cia. Perc Pé”):

Na Fundação Barddal
– Iniciantes – terças e quintas, das 19h às 20h
– Básico 1 – terças e quintas, das 18h às 19h
– R$ 60
– Endereço: Av. Madre Benvenuta, 416, Trindade

No Centro de Dança Laura Flores
– Iniciantes – segundas e quartas, das 16h30 às 17h30
– R$ 65
– Endererço: Av. João de Deus Machado, 43, Trindade.
– Informações: (48) 3238-8888

Outras informações: (48) 9148-4578 / 3235-2842 / elisaprits@hotmail.com

%d blogueiros gostam disto: