Archive for 16 de setembro de 2007

Tap Videos – Fred Astaire

Um Fred Astaire é pouco ? Nunca. Mas que venha um monte de Astaires pra ficar ainda melhor: “Puttin’ On The Ritz”.

http://br.youtube.com/watch?v=-_o9pXLZKtM

Anúncios

Rio, RJ – Final de Ano 2007 – Lyceu

São Paulo, SP – Off-Tap – Os Produtores

Texto de Márcia Abos para o Globo Online publicado em 15.09.2007:

Juliana Paes estréia no teatro com o pé direito em ‘Os produtores’

SÃO PAULO – Em sua estréia no teatro, Juliana Paes mostra que sabe cantar, não faz feio na hora de dançar e deve atrair um público que, via de regra, não costuma assistir a musicais. Desta vez, em “Os produtores”, que estréia neste sábado em São Paulo, no Tom Brasil, há muitos bons motivos para se esperar a primeira cena da beldade, em que ela canta, com uma voz sexy, o refrão “se eu tenho, eu mostro” e prova aos personagens interpretados por Miguel Falabella e Vladimir Brichta que é digna de ser contratada.

A atriz prova também ao público ser merecedora da alcunha “avião” que o texto lhe dá. Mas seria injusto dizer que é só beleza o que Juliana esbanja em “Os produtores”. Ela não só enfeita a montagem, como também mostra ter presença e talento à altura de Vladimir Brichta, seu par romântico, com quem divide a maior parte das cenas.

Juliana Paes fez o teste para o papel, originalmente de Daniele Winits, que deixou o elenco por estar grávida. Concorreu com atrizes como Manuela Araújo e Luciana Vendramini e foi escolhida pelo coreógrafo da Broadway Chet Walker, pelo diretor argentino Ricky Pashkus e pelo diretor musical e preparador vocal Gerardo Gadelin, também argentino.

Walker, que já coreografou quatro musicais de Bob Fosse, além de outros sucessos como “A gaiola das loucas” e “Chorus line”, elogiou o elenco brasileiro.

– Eles fizeram um trabalho maravilhoso. Miguel e Vladimir são estrelas. Não há nada que eles não possam fazer. Juliana é maravilhosa e espere só até vê-la cantar. Os brasileiros se assustam quando ouvem falar em sapateado americano, mas aprendem facilmente – disse o coreógrafo.

Antes de fazer o teste para a peça, Juliana tinha planos de ir para os Estados Unidos. Tinha até algumas reuniões agendadas e uma proposta para participar de um seriado.

– Mas entre fazer esta viagem, em que coisas legais poderiam acontecer e realizar um sonho de infância, preferi a segunda opção – contou a atriz, antes de começar o ensaio.

Antes de começar o penúltimo ensaio, na quinta-feira, os 24 integrantes do elenco se juntaram no palco para fazer o aquecimento vocal, comandado pelo maestro e diretor musical residente, Felipe Senna. Juliana já estava maquiada e com a peruca loura de sua personagem, a sueca Ulla. Não havia colocado ainda o figurino. Abanava-se com as mãos, enquanto fazia os barulinhos necessários para aquecer as cordas vocais. O grupo cantou parabéns para um dos atores e pediram Juliana para que ela imitasse Marilyn Monroe.

Ao lado da mesa do cafezinho, uma placa lembrava ao elenco e aos técnicos a data, 13 de setembro de 2007. Era a contagem regressiva para a estréia neste sábado: “Faltam dois dias!”. Logo abaixo, a resposta: “Nós sabemos muito bem!”. O clima entre a equipe, de 90 pessoas, era de correria. Foram dois meses e meio de ensaios para colocar o espetáculo, que custou R$ 7 milhões, de pé.
Musical fala de um fracasso que virou sucesso

Além das estrelas Juliana Paes e Wladimir Brichta, o musical ‘Os Produtores’ tem no elenco outro astro, o ator Miguel Falabella. Ele é o protagonista e também assina a direção, adaptação e tradução do espetáculo. Falabella interpreta Max Bialystock, um decadente produtor da Broadway que explora velhotas depravadas para conseguir financiar suas peças. Ele conhece o contador frustrado Leo Bloom, personagem de Brichta, que sem querer lhe dá uma idéia brilhante: arrecadar o máximo para criar um musical que seja um grande fracasso. O fiasco sairia de cartaz logo após a estréia e, assim, os dois embolsariam o dinheiro dos investidores sem precisar prestar contas.

Sem ter muito a perder, a dupla coloca o plano mirabolante em prática. Procuram a pior peça já escrita, “Primavera para Hitler”, e contratam o pior diretor para encená-la. No meio da preparação, bate à porta dos produtores a estonteante Ulla, personagem de Juliana Paes. Seus atributos físicos lhe garantem o cargo de secretária, o papel de protagonista e a admiração dos patrões. O que nenhum dos três esperava é que a peça, que tinha tudo para dar errado, acaba sendo um estrondoso sucesso.

A comédia musical conta com a participação de uma orquestra de 11 músicos. Para contar a história dos produtores vigaristas, são usados 11 cenários e mais de 300 figurinos. A produção foi feita em parceria com a Argentina, que realizou uma montagem bem-sucedida do espetáculo, que ficou em cartaz em Buenos Aires por um ano e meio.

– O que diferencia “Os produtores” dos demais musicais é o humor – conta Ariel Soliar, diretor artístico do espetáculo no Brasil e em Buenos Aires.

“Os produtores” fica em cartaz em São Paulo até março de 2008. Depois, a partir de junho, faz temporada de dois ou três meses no Rio de Janeiro. O local ainda não foi definido.

“Os produtores”
Estréia dia 15 de setembro – sábado – 22h.
De sexta a domingo. Sextas às 21h30,
sábados, às 17h e às 22h, domingos, às 18h.
Local: Tom Brasil – Nações Unidas.
Rua Bragança Paulista, 1281. Informações: 11 2163-2100.
Ingressos: de R$ 70 a R$ 200.

%d blogueiros gostam disto: