Archive for 23 de maio de 2008

Fortaleza, CE – Disritmia

Reportagem de Izakeline Ribeiro para o Diário do Nordeste em 23.05.2008:

No compasso deles

Entre um encontro e outro, a Cia. dos Pés Grandes foi se formando. Paixão e curiosidade passaram a movimentar 12 jovens, que descobriram na dança mais um sentido para a vida. Neste fim de semana, eles são atração no Theatro José de Alencar

Apaixonados pela dança, os rapazes da Companhia dos Pés Grandes estão em cartaz com novo espetáculo na sala de teatro Nadir Pápi Sabóia (Theatro José de Alencar). ´Disritmia´ leva ao palco uma coletânea de sons e passos capazes de impactar o público em 40 minutos de dança contemporânea e sapateado. E, apesar do título, ritmo é o que não falta a esses jovens, com idades variando entre 18 e 28 anos.

´É um ato político, um manifesto. São doze homens no palco não para levantar uma parede ou fazer uma construção e sim para dançar. É mais uma quebra de paradigma´, destaca o diretor Heber Stalin.

Para o repertório da apresentação – que começa com dança contemporânea – Stalin fez uma seleção entre clássicos do jazz (Nina Simone, Chet Baker), o pop internacional de Jack Jonhson também teve espaço e ainda uma música da banda japonesa Nouvelle Vague. Na hora de sapatear, o grupo segue a linha ´fora de tempo´ do diretor.

E tem explicação! ´Gosto muito de mexer com o som. Quando parece que o passo não está de acordo com o tempo da música, nós mostramos que ele tem uma ligação sim. Então a gente faz um funk, à capela, hip hop, coco e encerra com um sambinha´, afirma o diretor.

Entre um ritmo e outro, a Cia. conta com a participação especial do baterista Anael Guimarães – que fez uma música especialmente para o espetáculo – e do ator e dançarino Marconi Basílio.

Depois das apresentações deste fim de semana, a companhia entra de férias, enquanto Heber viaja para Florianópolis, São Paulo e Brasília para ministrar workshops de sapateado. ´Em Brasília, vou ensinar junto com o dançarino americano Lane Alexander, do Chicaco Human Rhythm Project´, conta.

Assim que voltar, Heber pretende ir em busca de patrocínio para alugar uma sala para a Cia. – que hoje ensaia no TJA – e também para bancar a participação do grupo em festivais de dança pelo Brasil.

´Disritmia´
em cartaz sábado e domingo
na sala Nadir Pápi Saboya
TJA (Praça José de Alencar s/n – Centro).
Ingressos: R$ 3,00 e R$ 6,00. (3101- 2567 ou 8744-4301).

Anúncios

Tap Words – Fayard Nicholas

“My father was a great influence on me.
He said to me one day while I was dancing,
‘Son, that’s fine. You do it very well.
But don’t do what other people do.
Do your own thing.'”

(Fayard Nicholas, na foto
à direita de seu irmão
Nicholas, da grande dupla
The Nicholas Brothers)

Exterior – Off-Tap – Tecktonik

Da Folha Online, em 06.05.2008:

Tecktonik, movimento que mistura dança e moda, invade Paris

Tem sido quase impossível nos últimos meses andar em Paris, principalmente no bairro de Les Halles, sem encontrar grupos de jovens dançando pelas ruas ao som de música eletrônica e vestidos com roupas do estilo usado nos anos 80.

O novo movimento que se espalhou pela capital francesa entre jovens de 15 a 22 anos já tem um nome: Tecktonik.

“Ainda que o nosso estilo esteja se abrindo, as características ainda persistem, como os sapatos esportivos dos anos 80, roupas justas e uma mistura de cores vivas”, afirma Treaxy, 18, uma das estrelas do novo movimento que apareceu em um vídeo da cantora francesa Yelle –que se lançou pelo site de relacionamentos MySpace.

A moda também determina o cabelo, com cortes característicos da década de 80, mais longo atrás e curto em cima, com um topete.

Além da moda, a dança também identifica o grupo e tem vários nomes: Tecktonik, Vertigo, Electro Dance ou Milky Way. Os passos são simples: basta mover os braços de maneira solta em volta da cabeça, como se estivesse passando gel no cabelo várias vezes.

Os que podem, dançam em discotecas. Mas a maioria invade as ruas para dançar, sem nenhuma reivindicação, a não ser a diversão.

A Tecktonik é uma marca registrada pelos empresários franceses Cyril Blanc e Alexandre Barouzdin e é uma festa que começou a sete anos em um clube nos arredores de Paris, o Metropolis.

“O nome Tecktonik foi inspirado pelas placas tectônicas e se refere à mistura de vários estilos de música eletrônica, ao choque de várias correntes musicais de origens diferentes”, afirma Blanc.

Mas, aos poucos, a marca Tecktonik começou a ser associada não apenas com as festas, mas também com a dança e o estilo musical e acabou sendo usada para descrever o surgimento de um fenômeno nacional na França.
O movimento também já alcançou Espanha, Bélgica e já é escutado na África.

Um dos principais festivais franceses, o Printemps de Bourges, já programou o Tecktonik para 2008.

“É um movimento que está crescendo em importância entre os jovens”, diz Thierry Langlois, um dos responsáveis pela programação do festival. “Meus próprios filhos usam os topetes e dançam. Por isso, decidimos programar uma tarde Tecktonik”.

Muitos dos jovens que dançam o Tecktonik gravam suas performances para exibir depois em suas páginas pessoais ou em sites como o YouTube.

“O fenômeno é de dança e também de internet, e é a primeira vez que as duas vertentes se misturam tanto”, afirma a socióloga Anne Petiau, da Sorbonne.

As reuniões dos aficionados pelo Tecktonik, chamadas de “aprems”, um diminutivo para “après-midi” (“tarde”, em francês), são organizadas exclusivamente pela internet.

“Os ‘aprems’ são anunciados apenas na nossa página”, afirma o DJ Fozzie Bear, membro do grupo organizador Dance Generation. “Mesmo assim já conseguimos reunir até mil pessoas e está aumentando”.

Para o DJ, o movimento permite que os participantes “conheçam muitas pessoas, se comunicando pela internet e depois pessoalmente nos eventos ou nos clubes”.

“Eu só gosto de dançar. Não me visto tipo Tecktonik”, diz Titi, 18, que dança em clubes e na casa de amigos. “Mas, quando escuto a música eletrônica e danço, é uma viagem”.

São Gonçalo, RJ – I Workshop de Dança

O “I Workshop de Dança do Município de São Gonçalo” é uma realização da Cia de Dança Elizete Mascarenhas e acontecerá no Colégio Santa Terezinha (R. João de Souza, 117, Centro, São Gonçalo, RJ, (21) 2712-1788 / 2712-1205) no dia 14 de junho de 2008. As aulas de sapateado serão ministradas por Adriana Salomão (Intermediário: das 13h as 15 h (sala 2) / Adiantado: das 17h as 19 h (quadra)).

%d blogueiros gostam disto: