Archive for the ‘Mídia’ Category

Rio, RJ – Prêmio Ana Botafogo de Dança

O compositor Oswaldo Montenegro está lançando um concurso para descobrir e premiar talentos da dança. Serão R$ 30.000,00 em prêmios para as melhores performances, de todos os estilos:

R$ 10.000,00 (dez mil reais): melhor performance de grupo
R$ 5.000,00 (cinco mil reais): melhor performance individual
R$ 10.000,00 (dez mil reais): performance de grupo com maior acesso no Youtube
R$ 5.000,00 (cinco mil reais): performance individual com maior acesso no Youtube

O site:

www.oswaldomontenegro.com.br/concurso

No site:

Ana Botafogo, principal nome da dança brasileira, é homenageada pelo amigo Oswaldo Montenegro com o “Prêmio Ana Botafogo de Dança”.

Os interessados deverão enviar suas performances filmadas (em qualquer tipo de equipamento) e utilizar como trilha sonora músicas do CD “De Passagem”, de Oswaldo Montenegro.

O candidato pode concorrer com quantas performances quiser, sendo apenas uma canção por performance.

O pagamento da premiação e a organização do concurso são de responsabilidade exclusiva da Oswaldo Montenegro Produções Artísticas.

Um responsável por cada escola e academia de dança interessada deve se cadastrar no concurso e enviar e-mail solicitando a inserção do nome da instituição:

omontenegroassessoria@gmail.com

Dances for an iPhone

Matéria da Folha Online fala sobre o aplicativo Dances for an iPhone, que foi criado por causa de uma… lesão:

Richard Daniels, que, em momentos diferentes, já foi administrador de artes, produtor e coreógrafo, estava incapacitado, recuperando-se de uma cirurgia do ombro, quando a ideia nasceu em 2008.

“Praticamente, a única coisa que eu conseguia fazer era olhar o computador”, ele revelou recentemente em um café de Manhattan. “Eu sempre coreografei e sempre gravei cada ensaio em vídeo, em preparação para meus shows. Havia algo nessas fitas de ensaios que mexia muito comigo. Manipulei as imagens no computador e pensei: ‘Será que consigo transferir para o telefone?'”.

O resultado foi sua criação Dances for an iPhone, aplicativo disponível gratuitamente, pelo iTunes, desde o início do ano. Até agora, já foi descarregado mais de 2.075 vezes, em 49 países. O aplicativo é enxuto e elegante; Samuel Toulouse, que o desenvolveu, também criou um aplicativo para a Chanel. O primeiro volume traz seis danças modernas, com durações que variam de dois a cinco minutos, apresentadas por nomes de respeito: Carmen de Lavallade, Deborah Jowitt, Regina Larkin, Christine Redpath e Megan Williams.

Leia mais clicando aqui.

Mídia – O Globo – Martha Medeiros

Texto de Martha Medeiros para a Revista O Globo, publicado em 02.07.2006:

O que a dança ensina
(Martha Medeiros)

Reclamar do tédio é fácil, difícil é levantar da cadeira para fazer alguma coisa que nunca se fez. Pois dia desses aceitei um desafio: fiz uma aula de dança de salão. Roxa de vergonha por ter que enfrentar um professor, um espelho enorme, outros alunos e meu total despreparo. Mas a graça da coisa é esta, reconhecer-se virgem. Com soberba não se aprende nada. Entrei na academia rígida feito um membro da guarda real e saí de lá praticamente uma mulata globeleza.Exageros à parte, a dança sempre me despertou fascínio, tanto que me fez assistir ao filme que está em cartaz com o Antonio Banderas, “Vem dançar”, em que ele interpreta um professor de dança de salão que tenta resgatar a auto-estima de uma turma de alunos rebeldes. Qualquer semelhança com uma dúzia de outros filmes do gênero, inspirados no clássico “Ao mestre com carinho”, não é coincidência, é beber da fonte assumidamente.Excetuando-se os vários momentos clichês da trama, o filme tem o mérito de esclarecer qual é a função didática, digamos assim, da dança. Na verdade, o simples prazer de dançar bastaria para justificar a prática, mas vivemos num mundo onde todos se perguntam o tempo todo “para que serve?”. Para que serve um beijo, para que serve ler, para que serve um pôr-do-sol? É a síndrome da utilidade. Pois bem, dançar tem sim uma serventia. A dança nos ensina a ter confiança, se é que alguém ainda lembra o que é isso.

Hoje ninguém confia, é verbo em desuso. Você não confia em desconhecidos e também em muitos dos seus conhecidos. Não confia que irão lhe ajudar, não confia que irão chegar na hora marcada, não confia seus segredos, não confia seu dinheiro. Dormimos com um olho fechado e o outro aberto, sempre alertas, feito escoteiros. O lobo pode estar a seu lado, vestindo a tal pele de cordeiro.

Então, de repente, o que alguém pede de você? Que diga sim. Que escute atentamente a música. Que apóie seus braços em outro corpo. Que se deixe conduzir. Que não tenha vergonha. Que libere seus movimentos. Que se entregue.

Qualquer um pode dançar sozinho. Aliás, deve. Meia hora por dia, quando ninguém estiver olhando, ocupe a sala, aumente o som e esqueça os vizinhos. Mas dançar com outra pessoa, formar um par, é um ritual que exige uma espécie diferente de sintonia. Olhos nos olhos, acerto de ritmo. Hora de confiar no que o parceiro está propondo, confiar que será possível acompanhá-lo, confiar que não se está sendo ridículo nem submisso, está-se apenas criando uma forma diferente e mágica de convivência. Ouvi uma coisa linda ao sair do cinema: se os casais, hoje, dedicassem um tempinho para dançar juntos, mesmo em casa – ou principalmente em casa – muitas discussões seriam poupadas. É uma espécie de conexão silenciosa, de pacto, um outro jeito de fazer amor.

Dançar é tão bom que nem precisava servir pra nada. Mas serve.

(Martha Medeiros)

Tap Videos – Comercial no Youtube

Comercial do Volkswagen Golf, com direito a Cantando na Chuva:

http://br.youtube.com/watch?v=G4LzG3XZMUA

Cyd Charisse, por Artur Xexéo

Fonte: Revista O Globo, 22.06.2008. Clique na figura para abrir em tamanho maior.

Rio, RJ – Off-Tap – Coluna de Artur Xexéo

Coluna de Artur Xexéo na Revista O Globo de 04.05.2008 (clique na figura para ver em tamanho maior):

O Oddie Também Sapateia

Tap Fotos – Cíntia Martin

Este dia 21 de dezembro é uma data especial: é dia do aniversário de uma das maiores mestras, performers e coreógrafas de sapateado do país, Cíntia Martin.

Se você ainda não visitou, não deixe de visitar seu site, uma das mais antigas homepages de sapateado do país (no ar desde junho de 1998), com mais de 200 subpáginas e atualizada periodicamente, a TapWeb Cíntia Martin:

http://www.geocities.com/cintiamartin

Uma das sapateadoras mais talentosas que já apareceram neste país – como performer, coreógrafa e mestra – Cíntia Martin é, como profissional e como ser humano, um dos melhores exemplos que conheço de perseverança, empenho, honestidade, humildade e talento.

Meus parabéns, portanto, a essa grande sapateadora que honra os sapatos com chapinhas que veste e que merece, também como ser humano, todo o nosso aplauso.

Happy Feet – Mais Prêmios em 2007

Um ano depois, mas prêmios para “Happy Feet”. Da Reuters, Londres, via Folha Online:

Pingüins de “Happy Feet” batem Harry Potter nos prêmios Baftas

Os pingüins dançantes de “Happy Feet – O Pinguim” derrotaram “Harry Potter” ao receber o troféu de melhor filme na edição deste ano dos Baftas infantis, a versão júnior dos prêmios britânicos de cinema e televisão.

O filme de animação computadorizada, com personagens dublados por Nicole Kidman, Elijah Wood e Robin Williams, passou à frente da aventura mais recente do jovem mago, “Harry Potter e a Ordem da Fênix”.

Os pingüins concorreram também com a comédia “Por Água Abaixo” e a aventura de fantasia “Ponte para Terabithia”.

“Happy Feet” foi sucesso nas bilheterias e já ganhou o Oscar de melhor longa-metragem animado em fevereiro deste ano.

“Harry Potter” também foi derrotado na categoria melhor videogame. Esse prêmio ficou com “Buzz! Junior: Jungle Party”, no qual os jogadores competem para erguer um império de bananas e serem coroados reis da selva.

Outros ganhadores do Bafta foram o Cbeebies, canal infantil da BBC, e o personagem animado Bob Esponja. Os vencedores foram anunciados no domingo (25) em uma cerimônia em Londres.

Tap Videos – Fred Astaire

A famosa cena de Fred Astaire sapateando pelas paredes e no teto em “Núpcias Reais”.

http://www.youtube.com/watch?v=ac6o8PXthzQ

Tap Videos – Mary Poppins

Para lembrar que os pingüins já sapatearam no cinema bem antes de “Happy Feet”:

http://www.youtube.com/watch?v=z2ZO2jnPKXU

Na TV – Dance Dance Dance

Para as pessoas que estão procurando cenas e vídeos da novela “Dance Dance Dance” da Band e estão caindo aqui no Divulgando…

– para os posts publicados aqui no Divulgando sobre a novela, incluindo matérias de jornais e sites, clique aqui.

– abertura da novela:
http://www.youtube.com/watch?v=QVoZp4rywRw

– Juliana Baroni cantando (cena do teste da personagem):
http://www.youtube.com/watch?v=NT3EoCcmIYg

Tap Fotos – Eleanor Powell

Conforme lembrado no programa Tap Brasil da última sexta, “Born To Dance”, de 1936, foi estrelado pela inesquecível Eleanor Powell (1912-1982), que foi tema da seção “Memória do Tap” do mesmo programa. Com participação do também sapateador Buddy Ebsen (1908-2003), o filme foi apresentado no programa “Cine Profissões” sobre a profissão de Sapateador, com comentários, nos intervalos da exibição, das mestras sapateadoras cariocas Cíntia Martin (foto ao lado) e Amália Machado. O programa foi exibido pelo Canal Futura em quatro exibições nos dias 14 e 15 de agosto de 1999, com reapresentações em abril de 2000 e agosto de 2001.

Fonte: internet.

Tap Fotos – Melodia da Broadway, 1940

Fonte: internet

Na TV – Dance, Dance, Dance

Galeria de fotos na Folha Online sobre a novela “Dance Dance Dance”: clique aqui.

Programa Tap Brasil – Livros

Conforme prometido no Programa Tap Brasil do último dia 20.09.2007, aí vão os títulos de alguns (eu disse alguns) livros americanos onde o sapateado é tema ou peça importante:

Jazz Dance, The Story of American Vernacular Dance
Autores: Marshall & Jean Stearns
Da Capo Press, New York,1994.

Tap! The Greatest Tap Dance Stars and their Stories, 1900-1955
Autor: Rusty Frank
William Morrow & Co., New York, 1990.

Inside Tap – Technique and Improvisation for Today’s Tap Dancer
Autora: Anita Feldman
Princeton Book, Pennington, New Jersey, 1996

The Souls of Your Feet: a Tap Dance guidebook for rhythm explorers
Autora: Acia Gray
Grand Weaver Publishing, 1998

Brotherhood in Rhythm: The Jazz Tap Dancing of the Nicholas Brothers
Autor: Constance Valis Hill, prefácio de Gregory Hines
Oxford University Press, 2000

Savion!: My Life in Tap
Autores: Savion Glover, Bruce Weber
Morrow,William & Co, 2000

entre outros.

Entre as referências nacionais, há boas opções disponíveis para compra via internet. Leia mais sobre as apostilas de sapateado da mestra Cíntia Martin: visite a TapWeb Cíntia Martin para saber como adquirir Toques – Vivendo, Aprendendo e Ensinando o Sapateado pelo correio, através de depósito bancário.

Já na homepage da Academia do Tap, dirigida no Rio por Flávio Salles, você pode saber mais sobre como adquirir o livro Tap – A Arte do Sapateado: visite o site da Academia do Tap.

Na TV – Dance, Dance, Dance

Reportagem da Folha Online sobre a novela Dance, Dance, Dance, que estréia no dia 01.10.2007 na Band:

Novo folhetim da Band exibe “dança dos quase famosos”

Estréia no dia 1º de outubro, às 20h15, a nova novela da Band, “Dance dance dance”. Enquanto o “Domingão do Faustão” consegue audiência com quadros como “Dança no Gelo”, “Dança dos Famosos” e agora “Dancinha dos Famosos” (com atores mirins), a atração da Band apresenta alguns ex-globais e um montão de novatos. É ir na contra-mão das emissoras, já que a Record também aposta em atores consagrados.

“Dance” ambienta a trama numa academia de dança. Esta será a primeira novela do Brasil a ser exibida em alta-definição, adequando-se ao novo sistema de televisão digital que deve chegar em dezembro a São Paulo. “Duas Caras”, da Globo, que estréia no mesmo dia, também é gravada em alta-definição, mas vai ao ar após a estréia da Band. Divulgação

Trama

Juliana Baroni, que já fez “Malhação”, é a dançarina Sofia, protagonista da novela que deve atingir em cheio o público “teen”. Seu par romântico é o ator novato Ricardo Martins, que interpreta um homem inteligente, rico e bonito, educado para o mundo empresarial.

Sofia vive no interior de São Paulo, onde foi criada pela avó de mesmo nome, que ensinou à menina aulas de balé no quintal de casa. Sofia quer tentar uma carreira como dançarina na Broadway e, assim, procurar pela mãe, que há muito tempo foi para o exterior.

Para concretizar o sonho, a jovem precisa ser aprovada no processo seletivo da mais importante escola de artes cênicas e dança da América Latina, a Fundação Verônica Marques, localizada em São Paulo. Para juntar o dinheiro necessário para a viagem, Sofia procura emprego numa fazenda da região.

E sem querer, ela encontra seu primeiro amor, o rico empresário Rafael, que acompanha o pai numa viagem de negócios. O rapaz também se encanta pela beleza e simplicidade da moça e juntos vivem uma breve história de amor, já que Vilma, amiga de Estéfano, dono da fazenda, também está interessada em Rafael e logo entra em cena para separar o casal.

Recomendação

Novelas costumam lançar moda no Brasil –lembremos do número de pessoas que procuraram academias para fazer dança do ventre quando da novela “O Clone”.

Se emplacar, “Dance” incitará crianças e adolescentes a dedicar o tempo livre à trilha sonora da novela na voz de Juliana Baroni, sem falar nas prováveis imitações das coreografias de balé, jazz, sapateado e hip-hop exibidas na novela. Pais, preparem-se.

Na TV – Dance, Dance, Dance

Reportagem no site da Band a respeito da novela “Dance, Dance, Dance”, que estréia no próximo dia 01 de outubro de 2007:

Mistura de estilos marca coreografias de DANCE, DANCE, DANCE

Novela terá balé clássico, jazz, sapateado, hip-hop, lap dance, tango, mambo e salsa. E a mistura de tudo isso.

Em DANCE DANCE DANCE, a fictícia Fundação Verônica Marques é freqüentada pelos melhores alunos de balé clássico, jazz e sapateado. Já num bairro pobre da cidade é o hip-hop que movimenta os jovens.

No entanto, as coreografias da novela vão mostrar que a dança não tem fronteiras nem obedece a limites. Quando Sofia (Juliana Baroni) passa a fazer parte desses dois mundos tão diferentes, há o encontro de estilos e o surgimento, quase que mágico, de algo novo.

Ao ritmo de sons inusitados como percussão com violinos ou batidas com clássicos, belos musicais surgirão na tela da Band. “As coreografias vão misturar estilos de dança. O balé clássico, o jazz e as danças latinas vão se unir ao hip-hop” afirma Roberta Cid, coreógrafa da novela que tem no currículo musicais no Brasil e no exterior. Roberta, que há dez anos trabalha nas produções da Disney Latin America, ressalta que a beleza dos movimentos se unirá ao frescor do novo, num resultado surpreendente. “Além dos atores que têm se saído muito bem na execução das coreografias, selecionamos bailarinos excepcionais nas audições que realizamos em São Paulo. Somente o núcleo da escola de dança conta com 13 bailarinos, talentos que descobrimos entre os 350 avaliados”, conta.

A dança também tem um papel importante na condução da trama. Logo no primeiro capítulo, Sofia (Juliana Baroni) e Rafael (Ricardo Martins) protagonizam uma audaciosa e sensual cena de tango. “É o primeiro encontro do casal, que em vez de usar palavras mostra a explosão de sua paixão por meio da dança. A cena é maravilhosa e os movimentos revelam tudo; o medo, a recusa, o desejo contido e a entrega ao amor. É como se contássemos a história através de cada passo”, ressalta.

Porto Alegre, RS – Off-Tap – Julio Bocca

Reportagem de Alessandra Duarte, enviada especial de O Globo a Porto Alegre, publicada em 19.09.2007:

A despedida de Bocca no auge da festa

Em Porto Alegre, onde se apresenta hoje e amanhã, o bailarino argentino fala de sua carreira e de seus projetos

Como alguém que quer ir embora de uma festa antes que ela desanime, o bailarino e coreógrafo argentino Julio Bocca vai parar de se apresentar e de coreografar enquanto sua dança ainda o diverte. Dentro da última turnê dos seus 27 anos de carreira, que será encerrada com uma apresentação ao ar livre em dezembro, em Buenos Aires, o virtuose da dança apresentará “BoccaTango”, hoje e amanhã, na 14aedição do festival Porto Alegre em Cena. “BoccaTango” é a festa com a música ainda boa.

— É um espetáculo de que gosto. No meu último ano de carreira, quero viajar com algo que me faça sentir bem — disse Bocca na última segundafeira, quando chegou a Porto Alegre. — “BoccaTango” é divertido, sensual e alegre.

Acompanhado por dois cantores, oito bailarinos e uma orquestra, Bocca mostrará o tango que criou para a música de Astor Piazzolla, autor da maior parte das composições utilizadas.

“BoccaTango” estreou em 2001 na Argentina, onde já teve 20 mil espectadores. No espetáculo, ele promete mudar o que o senso comum pensa sobre o tango, “aquela história de uma flor vermelha, como os espanhóis”:

— Nossa origem vem daí, mas nosso tango é outra coisa. Não somos tão chorões. Somos mais sensuais, mais rítmicos — sublinha ele, e estala os dedos. — Mais agilidade.

A preferência pelo tango está ligada à própria iniciação de Bocca na dança. Sua mãe, que foi sua primeira professora na área, usou as danças folclóricas argentinas e o tango, sobretudo o de Piazzolla, para ensinar o filho, então com 4 anos, a bailar.

— Cresci ouvindo Piazzolla e depois tive a sorte de conhecê-lo. Para mim, a relação da música com o movimento é muito mais fácil de se entender por meio dele — afirma Bocca, que faz uma definição pouco ortodoxa do tango. — O tango tem o encanto da pizza de mozarela. O encanto das coisas cotidianas. Sempre procuro pôr algo dele nos meus espetáculos.

Bocca no Rio: “Imagine um menino de 15 anos feliz”

O início foi no tango, mas a forma de trabalho que Bocca aplica em seu grupo, o Ballet Argentino (que continuará a dirigir), vem muito do que aprendeu com companhias como o Ballet Bolshoi e o American Ballet Theatre.

— Foi uma prova de fogo, que me fez poder formar minha companhia mais tarde — diz o bailarino, cuja carreira se iniciou na Venezuela. — Comecei a me apresentar aos 14 anos, em Caracas. Aos 15, fui trabalhar no Teatro Municipal do Rio. Imagine um menino de 15 anos atuando como primeiro bailarino em “La fille mal gardée” e “Copélia”, com Ana Botafogo. Eu era o bebê da companhia. Naquela época trabalhávamos muito no Teatro Villa-Lobos. À esquerda, o teatro; à direita, a Praia de Copacabana. Então, imagine um menino de 15 anos feliz.

A aposentadoria aos 40 anos só abrirá exceção para trabalhos como diretor e professor de dança. Seu principal projeto, agora, é uma escola de arte para jovens. Ao falar dele, Bocca revela a falta de apoio ao principal nome argentino na dança mundial em seu próprio país.

— No Brasil é mais fácil. Na Argentina, não há leis de incentivo. A escola que pretendo criar contará apenas com recursos meus. Minha companhia de dança, mantenho eu. Minha fundação, mantenho eu. Nosso único patrocinador, para projetos de educação como levar aulas gratuitas ao interior da Argentina, é a Petrobras.

Perguntado se a decisão de parar deriva do desejo de sair no auge, Bocca responde que não, mas complementa:

— Acho boa a idéia de sair bem. Poderia continuar, mas respeito muito minha carreira para isso. Não gosto de ver artistas que se apresentam mas que já não poderiam mais estar em cena. Também quero deixar o caminho para gente mais jovem. A dança é para os jovens. Ela precisa de experiência, mas também do corpo e do frescor.

Julio Bocca diz que a consciência de que vai se aposentar no fim do ano não o afeta no palco, onde esquece que está “cansado de ter compromissos e horários”. É este cansaço que o faz soltar um sopro de alívio e confessar seu verdadeiro primeiro projeto após a despedida:

— Acordar da bebedeira.

Rádio JD – Programas da Terça

Nesta terça, a Rádio JD apresenta:

– de 10h às 11h, “Tablado Flamenco”, com Estrella Bohadana e Ricardo Samel, um panorama geral sobre a Dança Flamenca.

– de 11h às 12h, “Rio Oriente”, com Márcia Gaia e Samra Sanches, sobre Dança do Ventre.

– de 14h às 16h, “Assim é o Rio Grande”, apresentado por Edemir Machado, sobre a cultura gaúcha.

Na quinta, vocês já sabem: o encontro marcado é com o “Tap Brasil”, sapateado nas ondas da rede sempre às quintas, das 18h às 19h. Ainda na grade da rádio, não percam também os programas apresentados por Edézio Paz:

– “Platéia”, segunda-feira, das 10h as 12h
– “Chamada Geral”, sexta-feira, das 11h às 12h

Para assistir, basta entrar em um dos sites do Jornal da Dança e da Rádio JD:

http://www.jornaldadanca.com.br
http://radiojd.com.br

%d blogueiros gostam disto: