Posts Tagged ‘Claudio Botelho’

Rio, RJ – Off-Tap – Crítica de Hair

Nova montagem de Hair é teatro musical de altíssima categoria
(Barbara Heliodora – O Globo)

Raras vezes o teatro tem se provado o grande documentário da História do Ocidente como no fascinante delírio tribal de “Hair”. Se o doloroso “A morte do caixeiro viajante”, de Arthur Miller, fazia a aguda crítica do culto do sucesso pessoal, de “ser popular”, “Hair” mostra a revolta da juventude contra essa mesma goal society, pomposa e preconceituosa.

A tudo o que já era o dia do juntou-se a Guerra do Vietnã, e o resultado foi o aparecimento desse musical diferente de tudo o mais, retrato vivo do repúdio aos valores simbólicos do que lhe parecia hipócrita, falso em forma e conteúdo. Cabelos compridos contra curtos, gritantes e fantasiosas roupas coloridas em lugar do respeitável terno cinza, liberdade sexual, paz e amor buscados pelas viagens das drogas, destruição dos cartões do serviço militar, tudo isso encontrado no propositado afastamento do caminho dito certo.

Pouco diálogo, clima onírico e muita música — que Galt Macdermot já compunha muito antes da criação das letras por Gerome Ragni e James Rado — fizeram com que o que começou em uma pequena sala offBroadway ganhasse não só a Broadway como o mundo, já que os anseios da tribo expressavam os de gente de toda parte, que adequava o musical a seus problemas locais. E o deslumbrante espetáculo em cartaz no Teatro Casa Grande é prova de que, 40 e tantos anos mais tarde, “Hair” continua válido como ideia e apaixonante como teatro.

Claudio Botelho traduziu, Charles Möeller dirigiu, e a dupla criou mais um trabalho tanto encantador quanto altamente profissional.

O cenário de Rogério Falcão (uma fábrica abandonada), os coloridos figurinos de Marcelo Pies, a direção musical de Marcelo Castro, a coreografia de Alonso Barros e a luz de Paulo César Medeiros parecem ser o mais alto ponto do trabalho de todos eles, que tanta coisa boa já fizeram, ajudados pelo visagismo de Dudu Meckelburg e pelo desenho de som de Marcelo Claret.

A impecável disciplina com que está organizada a fascinante indisciplina que é a essência de “Hair” mostra um universo de teatro que atingiu a maioridade, onde cantores e bailarinos vão sendo descobertos às dúzias, conscientes da necessidade de toda a precisão na criação da imagem da espontaneidade. O espaço não permite que do exemplar conjunto da tribo só possamos salientar Hugo Bonemer, Igor Rickli e Carol Puntel, mesmo que injustiçando seus outro vinte e sete componentes.

Desde a abertura, com a “Era de Aquarius”, até o final, com “Deixa o sol entrar”, “Hair” é um espetáculo lindo, apaixonante e de altíssima categoria.

Fonte: O Globo de 07.11.2010.

Anúncios

Rio, RJ – Gipsy

De 30 de abril a 27 de junho de 2010, o Teatro Villa-Lobos (Rio de Janeiro, RJ) apresenta a versão brasileira do clássico da Broadway Gypsy, dirigido por Charles Möeller e Claudio Botelho. O musical leva ao palco 38 atores, 17 músicos, 18 trocas de cenário e 140 figurinos, e há números de sapateado entre suas coreografias:

A base do texto da peça foi o livro de memórias da personagem-título, escrito por Arthur Laurents, mas o motor da adaptação teatral é a controversa figura de Mama Rose, cuja existência girava em torno de fazer das filhas, June e Louise – posteriormente chamada de Gypsy Rose Lee, – estrelas do teatro norte-americano do início do século passado.

Ficha Técnica:
Texto: Arthur Laurents
Música: Jule Styne
Letras: Stephen Sondheim
Direção: Charles Möeller
Supervisão Musical: Claudio Botelho
Direção Musical / Regência: Marcelo Castro
Coreografia Original: Jerome Robbins
Remontagem Coreográfica e Coreografias Adicionais: Flavio Salles e Janice Botelho
Cenografia: Rogério Falcão
Figurinos: Marcelo Pies
Coordenação Artística: Tina Salles
Elenco: Totia Meireles, Adriana Garambone, Eduardo Galvão, Renata Ricci, entre outros.

Vídeo “As moças de Gipsy”:
http://www.moellerbotelho.com.br/arquivos/10300

Blog do musical:
http://www.gypsymusical.com.br/blog.asp

Crítica de Artur Xexéo:
Artur Xexéo: Os muitos acertos do musical ‘Gypsy’

Os músicos de Gipsy

Os músicos de Gipsy

A Noviça Rebelde: Estreia em São Paulo

A Folha Online destava a “grandiosidade, primor e uma técnica extremamente trabalhada” do musical “A Noviça Rebelde”, grande sucesso da temporada 2008 no Rio de Janeiro que chega a São Paulo depois de atrair 190 mil espectadores em sua temporada carioca. O espetáculo estreia no palco do Teatro Alfa, nesta sexta, 20.03.2009, com Saulo Vasconcelos e Kiara Sasso nos papéis principais e um elenco de 44 atores e atrizes, entre adultos e crianças:

A superprodução, que recebeu cinco indicações ao Prêmio Shell de Teatro, garantiu aos diretores Charles Möeller (direção geral) e Claudio Botelho (direção musical) o prêmio na categoria especial, pela contribuição ao gênero musical no cenário carioca.

Leia mais clicando aqui. Vale lembrar que a dupla de diretores recebeu o prêmio também por outro sucesso do circuito carioca em 2009, “Beatles num Céu de Diamantes”.

Teatro Alfa Sala A
R. Bento Branco de Andrade Filho, 722, Jd Dom Bosco, S’ao Paulo, SP
Telefone: (11) 5693-4000.
Ingresso: R$ 40 a R$ 180.
Aceita os cartões Amex, Diners, MasterCard, Visa.

Primeiras sessões:
– Dia 20: 21h30.
– Dia 21: 17h e 21h;17h e 21h.
– Dia 22: 16h.
– Dia 26: 21h.

%d blogueiros gostam disto: